Tratamento

Como a doença arterial coronariana é tratada?

A doença arterial coronariana é controlada com uma combinação de mudanças no estilo de vida, exercícios, dieta e tratamento médico. O tratamento a ser recomendado pelo médico dependerá da gravidade de sua doença.

Existem medicamentos que são prescritos para aliviar o desconforto no peito devido a obstrução do fluxo coronário por placas: as estatinas “tratam” as placas  e os nitratos 'dilatam' a artéria com obstrução do fluxo, mas ambos não a amenizam nem a removem.

Além das mudanças no estilo de vida e dos medicamentos, existem também procedimentos médicos que podem ser realizados.

  • A angioplastia é um procedimento minimamente invasivo feito em um hospital. O cirurgião cardíaco ou hemodinamicista introduz um tubo pequeno (denominado cateter) através do pulso ou da virilha, o qual passa, então, através de uma artéria até o local do bloqueio. Um pequeno balão localizado na ponta do cateter é lentamente insuflado para abrir o bloqueio. Esse procedimento pode ser realizado com um cateter com balão sozinho ou pode também envolver  a colocação de um stent coronário. Tal procedimento também é conhecido como uma angioplastia coronária transluminal percutânea (ACTP). A angioplastia realizada sozinha também é conhecida como ACTP.
  • Muitos pacientes submetidos a uma angioplastia podem também receber o implante de um stent. Os stents são parecidos com a mola da ponta de uma caneta. Depois do procedimento de angioplastia abrir a artéria, um stent é colocado e expandido para se acomodar ao tamanho da artéria. O stent permanece na artéria, ajudando a manter um fluxo sanguíneo livre e desobstruído. Com o tempo, a parede da artéria se cicatriza ao redor do stent. Durante o período de cicatrização é necessário que o paciente tome medicamentos para impedir que o sangue se coagule dentro do stent.
  • A Cirurgia de Revascularização Coronária (CABG) é uma cirurgia de coração aberto. Durante essa cirurgia, artérias ou veias são retiradas de outra parte do corpo e utilizadas para redirecionar o sangue ao redor das artérias bloqueadas do coração.

Existem riscos associados com qualquer um desses procedimentos invasivos, tais como infecção, reações alérgicas, traumas em vasos, coágulos e morte.

É importante que você converse sobre esses riscos com seu médico. Se você possui um stent implantado, é importante seguir as instruções de seu médico para reduzir o risco de complicações.

Topo (Inicio)