Existem várias ferramentas conhecidas globalmente e usadas para monitorar a gravidade da distonia. A Escala de Burke-Fahn-Marsden (BFMDRS) é uma escala de classificação de 120 pontos usada para testar a gravidade da distonia em 9 regiões corporais. Essa escala leva em consideração a gravidade e a frequência de movimentos distônicos. Uma pontuação maior significa maior comprometimento. A Escala de distonia cervical de Toronto (TWSTRS) é outra escala de classificação comumente utilizada para distonia cervical. Esse exame consiste em três seções: Gravidade (intervalo de 0 a 30), Incapacidade (intervalo de 0 a 30) e Dor (intervalo de 0 a 40). Assim como na BFMDRS, uma pontuação maior indica maior comprometimento da doença. Vários estudos demonstraram uma redução nas pontuações de BFMDRS e TWSTERS resultante da terapia de estimulação cerebral profunda.