Incontinência Urinária de Esforço

A incontinência urinária de esforço afeta aproximadamente 18 milhões de adultos nos Estados Unidos, sendo 85% mulheres. Geralmente, as pessoas que sofrem de incontinência levam 4-6 anos antes de procurar ajuda médica para essa condição.

Se você sofre com a incontinência urinária de esforço, saiba que não está sozinha!

 

Sintomas da Incontinência Urinária de Esforço

Incontinência urinária de esforço é a perda involuntá¡ria de urina durante atividades físicas, que podem incluir, sem se limitar a:

  • Tossir
  • Rir
  • Levantar peso

A incontinência acontece quando os músculos que sustentam a uretra (o tubo que leva a urina para fora do corpo) estão enfraquecidos ou danificados. Isso pode ocorrer como resultado do parto, de um trauma, de mudanças hormonais e por muitas outras razões.

Você não precisa viver assim.

A incontinência urinária de esforço pode ser tratada com ou sem cirurgia.

 

Tipos de Incontinência Urinária de Esforço

Hipermobilidade (Hiper€ significa muito e mobilidade refere-se a movimento) pode resultar do parto, de cirurgia pélvica anterior ou de mudanças hormonais. A hipermobilidade ocorre quando os músculos normais do assoalho pélvico não conseguem mais sustentar adequadamente a uretra. Isso pode fazer com que a uretra pingue quando qualquer pressão para baixo for aplicada, resultando em perda involuntária de urina.

Anatomia com funcionamento normal

O enfraquecimento dos músculos que sustentam a uretra faz com que ela pingue durante atividades físicas, resultando em perda de urina.

Deficiência intrínseca do esfíncter refere-se ao enfraquecimento dos músculos do esfíncter ureteral ou do mecanismo de fechamento. Como consequência, o esfíncter não funciona normalmente independente da posição do colo da bexiga ou da uretra. 

 

Treatment Options

A incontinência urinária de esforço pode ser tratada de várias maneiras, dependendo de sua natureza exata e gravidade. Como o estado e a anatomia da doença diferem de paciente para paciente, os resultados podem variar.

Verifique com seu médico todas as opções disponí­veis de tratamento. Fale com ele sobre o seguinte:

  • Mudanças em sua dieta e na rotina de atividades físicas
  • Terapia física, incluindo exercí­cios para o assoalho pélvico
  • Uso de pessários vaginais
  • Opções cirúrgicas, incluindo alças (slings) médio-ureterais, colposuspensão retropúbica e bulking ureteral